Produtos de limpeza e as escolhas seguras

Há décadas, no começo do século passado, produtos usados na limpeza das nossas casas resumiam-se em desinfetantes (creolina), alvejante (água sanitária), sabão em barra a partir de gordura animal e soda cáustica e do sapólio em pedra. Usava-se no cuidado com as roupas o anil e  a goma.

 

Com a chegada do sabão detergente em pó e na sequência as lavadoras de roupas domésticas as rotinas se simplificaram, a indústria investia na guerra do lava mais branco.

E novos produtos como o detergente lava louças (em 1950 o detergente passou a ser fabricado tendo o petróleo como sua matéria-prima) facilitaram a vida doméstica.

Um dos mais trabalhosos afazeres era encerar e dar brilho nos pisos de madeira num processo repetitivo de aplicar cera em pasta na madeira e utilizar um removedor para limpeza e remoção, ambos produtos tóxicos, compostos de solventes derivados de petróleo além da necessidade de muito esforço para fazer brilhar.

Não menos poluentes mas mais seguros surgiram outros produtos: multiuso sem enxague, limpador de pisos , limpador de superfícies. Desinfetantes e alvejantes evoluíram do formaldeído e do cloro para o peróxido de sódio.

O mobiliário que era basicamente de madeira mudou bastante e  temos revestimentos que não absorvem produtos de limpeza, nem precisam ser hidratados.

Solventes deixam assim de ser indicados para a limpeza doméstica que se modernizou, que leva menos tempo e é mais eficaz.

Por esse motivo nunca incluo nas indicações de produtos para se ter e limpar a casa o removedor. Tóxico, altamente inflamável, com potencial cancerígeno, além de perigoso para contato de quem manipula, crianças e animais de estimação.

Antes de manter uma tradição ou hábito de comprar um produto para limpeza, leia o rótulo, compare, escolha com segurança,não só pelo perfume mas também pelo potencial efeito à saúde e ao planeta.

 

 

Comentários